Proposta de Trabalho – Atividade 4

Título: Future Tense

Público Alvo: Alunos do Ensino Fundamental II – 8 anos

Área de Conhecimento: Língua Inglesa

Objetivos: Trabalhar os diferentes tipos do tempo verbal FUTURO através de vídeos.

Descrição das estratégias que serão utilizadas e recursos visuais:
A partir da utilização das ferramentas do Microsoft Word, Power Point e da utilização da Internet como meio de comunicação, divulgação e pesquisa, os alunos serão orientados a criar uma apresentação, em grupos, utilizando os conceitos sobre o assunto – tempo verbal FUTURO – adquiridos através de explanação do tema com Power Point e interação com vídeo no You Tube.

Procedimentos:
Na primeira aula a professora irá utilizar uma apresentação em Power Point motivando os alunos quanto ao tema. Com a visualização do vídeo indicado através de um hiperlink, os alunos discutirão em pares e sob a supervisão da professora os diversos tipos do tempo verbal FUTURO. Na mesma aula, num segundo momento, a professora prosseguirá com a apresentação do tema, pontuando questões gramaticais e situações de uso de cada um dos tipos.

Dentro desse contexto, a professora continuará com o tema e instigará os alunos a assistirem um novo vídeo, através do hiperlink, desta vez para que os próprios alunos proponham as regras de utilização do terceiro tipo.

Na segunda aula, a atividade solicitada aos alunos será tratada de forma a sistematizar as informações e promover a avaliação dos trabalhos executados pelos alunos. O resultado dos trabalhos, será motivo de exploração e análise da professora, com utilização da interação aluno / professor dentro de um blog pré-estabelecido. Nessa aula, o aluno será solicitado a participar e debater o tema através da formulação de uma sequência de exercícios propostos.

Considerações: A utilização de recursos tecnológicos propicia um maior interesse e envolvimento por parte dos alunos atingindo o objetivo de não somente adquirir o conhecimento desejado como também interagir de forma mais abrangente com as novas modalidades de ferramentas.

Forma de Avaliação: Os alunos serão avaliados através do empenho, comprometimento ao longo do processo, criatividade, pronúncia e utilização do ponto gramatical visto, bem como pelo produto final de seu trabalho.

Autora do Projeto:
Deise Resstel Meirelles e Silva
Unidade Valinhos

Curso Pilares da Educação – Pilar 1 – Busca

Fizemos estudos sobre o Pilar 1 – Busca:

Na primeira etapa, verificamos a extensão dos conceitos, o que resultou em uma apresentação. A apresentação segue abaixo:

Pilar 1 – Busca 

Na segunda etapa, montamos uma enquete e submetemos a pergunta para o grupo de professores que compunham nossa turma. Veja abaixo a questão e suas possíveis respostas:

                Pilar 1

                Questão: Você utiliza ou já utilizou as redes sociais como fonte de busca para seus alunos?

                A:  Sim, acredito que seja uma importante fonte de busca.

                B: Não, não acredito que seja uma fonte séria.

                C: Não. Não sei como conduzir busca em redes sociais.

                D: Sim, porém nunca fiz parte de uma rede social.

Coletados os dados, obtivemos o seguinte gráfico:

Com esse gráfico, fizemos algumas observações que gostaria de compartilhar com vcs. O compartilhamento de informações é o objetivo desse blog.

Análise inicial dos dados da enquete

Ao iniciarmos nossos estudos sobre o primeiro pilar, que é “Busca” , vimos que é imprescindível despertar um interesse maior por parte dos alunos para o assunto, em paralelo com um maior aprofundamento de técnicas e métodos para o professor – orientador.
Analisando a coleta de dados obtidos, verifica-se que 49% dos respondentes “não usam mecanismos de busca em redes sociais por não saberem conduzir essas buscas. ”
Essa análise vem comprovar nossa hipótese relativa à necessidade de um maior engajamento e estudo sobre o assunto no que se refere à área educacional. Cabe ressaltar que nossa enquete se referia somente a buscas em redes sociais, o que representa uma especificidade do todo.
Outro ponto a ser ressaltado é que o segundo maior grupo de respondentes, “não utiliza a busca por não considerar redes sociais uma fonte séria.” Aqui fica evidenciado o caráter de entretenimento que tem norteado o conceito de redes sociais, ainda em fase de maturação.
Portanto, um investimento na disseminação da informação de instrumentos de busca através de cursos de especialização, é mandatório, como também a concientização da seriedade das informações. Isso implica na necessidade de uma orientação mais eficiente e assertiva por parte do professor – orientador.

Todo esse trabalho foi feito pelo grupo de estudos (Ana Paula Marucci Ferreira Coelho, Deise Meirelles e Fernando Lorenzo Paschoal ) que propiciou uma grande reflexão sobre o tema.